Dicas

Como Superar a Dor de Uma Separação?

Como Superar a Dor de Uma Separação?
imagem: Divulgação

Como Superar a Dor de Uma Separação? Poderia, realmente, existir uma receita mágica que nos trouxesse o conforto imediato ou pudesse, simplesmente, apagar toda e qualquer lembrança da pessoa que nos abandonou da nossa mente?

Infelizmente não existe uma receita mágica, nem remédios.

Mas, a boa notícia é que a dor não é eterna.

Seguramente, uma hora, todos esses sentimentos ruins passarão e você voltará a tocar a sua vida, e, o relacionamento que deixou será apenas uma lembrança desagradável.

No entanto, o que todos se perguntam, e certamente, você deve estar se perguntando, também:

Por quanto tempo vou sofrer assim?

Existe alguma forma de tornar esse processo menos doloroso?

Para a questão do tempo necessário para superar, é consenso entre os especialistas acreditarem que isso não tem previsão.

Você pode estar recuperado em um mês ou pode demorar anos.

Sentimentos não têm medida, portanto, não existe como calcular o tempo para esvaziar o coração.

Muitos estudos, porém, nos levam a crer que existem formas de tornar as coisas, digamos, menos intensas, talvez agilizando o processo, mas, todos os métodos não trazem garantias, simplesmente, porque somos seres humanos ímpares e cada um tem seu tempo e sua forma de lidar com a dor.

Por que a separação dói tanto?

No livro, o Método Ada – A arte de DesAmar, o escritor define a dor da separação como sendo tão intensa como a dor do luto:

O rompimento pode ser tão doloroso quanto o luto, é o momento em que perdemos o interesse de tudo aquilo que nos cerca, nos trancamos em nós mesmos e remoemos cada instante vivido na relação em busca de um único ponto que possa explicar porque tudo aquilo aconteceu.

Quando vivemos um relacionamento estamos em constante sintonia com nosso parceiro/a, e sabemos que, indiferente ao tipo de relação que vivemos, sempre teremos, pelo menos teoricamente, a quem recorrer para nos consolar, nos abraçar e dizer que tudo vai ficar bem, que tudo vai passar.

Mesmo que sejam só palavras, o simples fato de não sabermos que não estamos sozinhos no mundo já nos traz um certo conforto.

A presença de uma pessoa em nossas vidas, muda o nosso ser, nos traz a segurança de que não somos lobos solitários, ou melhor, ovelhas solitárias no mundo feito de lobos.

E o rompimento é justamente o que quebra a única base firme que acreditávamos ter. Ele destrói o nosso porto seguro, nos tira da nossa zona de conforto e nos transporta para o mundo dos lobos, dessa vez, sozinhos, sem ninguém que possa nos ajudar, nos orientar, nos trazer conforto.

Portanto, certamente, é um luto.

Perdemos a pessoa que amávamos ou que representava muito em nossa vida. Sim, porque a dor do rompimento não está condicionada somente ao amor, mas a nossa forma de viver.

Podemos não amar, mas a presença de outra pessoa em nossas vidas, teoricamente, é uma segurança que temos.

Quando perdemos essa segurança, é, então compreensível que todo o universo desabe sobre nossas cabeças.

Estou sozinho/a no mundo, sem ninguém.

Por mais que no mundo existam bilhões de pretendentes em potencial, nós acreditamos que perdemos a única pessoa que podíamos ter como companheiro fiel.

Como Superar a Dor de Uma Separação?
Por que a separação dói tanto?

E a dor que enfrentamos é justamente a nossa readaptação para uma nova forma de viver, o viver sozinho.

Quanto maior o tempo de relacionamento, mais vulneráveis nos sentiremos, e, provavelmente, mais nos afundemos no buraco do sofrimento.

Padecemos, então, de uma crise existencial.

Temos que entender o nosso sentido de vida, nossos propósitos.

Geralmente nos depararemos com o fato que não tínhamos nenhum sentido, nenhum propósito de vida que não envolvesse a outra pessoa.

Por isso o processo de recuperação é lento, porque temos que aprender a reprojetar toda a nossa vida, nos mínimos detalhes e, dessa vez, sozinhos.

Certamente, ao ler isso, você deve estar pensando: –

Sim, isso faz todo o sentido. Nos últimos tempos todo o projeto da minha vida incluía aquela pessoa. Agora os meus projetos de vida fazem sentido? Devo continuar o caminho que estava seguindo ou devo mudar minha rota?

O Método ADA, foca justamente nessa questão do recomeço e da reorganização das suas ideias, quanto mais rápido você reconfigurar a sua vida, mais rápido se sentirá livre dos sentimentos ruins da dor da separação.

Como superar a separação quando houve traição?

Como Superar a Dor de Uma Separação?
Como superar a separação quando houve traição?

A separação dói indiferente ao motivo de ter acontecido.

No entanto, a traição pode acrescentar a nossa modesta lista de sentimentos ruins, mais uma dúzia deles.

A traição, quando descoberta ou aventada, nos traz a raiva de termos sido enganados/as, em seguida, nós queremos entender os motivos… aí mora um dos maiores problemas.

Em nossas análises quase sempre entenderemos que fomos traídos pela nossa incapacidade de amar, incapacidade de ser, de agir, etc.

Tomamos para nós a responsabilidade, a culpa pelo desinteresse do outro.

Poderia ter amado mais, poderia ter feito mais amor, poderia ter emagrecido, poderia ter se cuidado melhor, poderia isso e poderia aquilo.

Subitamente você se vê culpando a si mesmo pelo erro do parceiro.

A separação decorrente de uma traição tende a destruir nossa autoestima e nossos valores e dificultar a superação do fim do relacionamento.

Como não sofrer ao fim de uma relação?

Poderíamos dizer que só quem não sofre é quem não amou, mas isso não seria verdade.

Como falamos, um relacionamento pode ou não envolver o amor, mas envolve cumplicidade, envolve convivência, o mínimo de amizade, de dependência, de apreço, etc.

Quando não há amor num namoro, num casamento, podem haver mil outros motivos para esse casal estar junto, e certamente, os motivos que mantinham a relação serão os responsáveis pela dor que sentiremos com o fim.

Mas tem gente que não sofre com isso, você poderia dizer.

Eu diria que tem gente que PARECE não sofrer com isso.

Muitos não passam por um sofrimento intenso, mas dificilmente podemos acreditar que uma separação não cause alguma dor profunda.

Muitos sentimentos estão envolvidos para podermos acreditar que são simplesmente apagados e a vida que segue.

O homem sente menos a dor da separação?

Como Superar a Dor de Uma Separação?
O homem sente menos a dor da separação?

É o que muitas mulheres pensam, erroneamente.

Recentemente um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Lancaste (Reino Unido), revelou que os homens sentem mais dor emocional após o rompimento, em comparação com as mulheres.

Aqui em terras brasileiras temos tradições e costumes usados pelos homens que mascaram bem a dor sentida com o fim dos relacionamentos – os bares, festas, sair pegando geral.

O homem, num primeiro momento, tende a fingir que nada aconteceu, diferente das mulheres que, geralmente, já se entregam ao sofrimento.

Mas, tão logo, o homem entenda a sua situação de abandono, o sofrimento se torna intenso.

Podemos concluir que homens sofrem, sim, a dor da separação, mas de forma diferente das mulheres.

Como superar a Dor de uma separação.

Como Superar a Dor de Uma Separação?
Método ADA – A Arte de DesAmar – Um guia para esquecer ou viver um grande amor

O que todo mundo quer realmente entender é como superar ou como esquecer um amor, passar por tudo isso quanto antes e sair ileso.

Uma coisa é certa, o fim de um relacionamento é um estágio da vida pelo qual temos que passar e que, ao passar, nunca mais seremos os mesmos.

Não há como voltar a ser, pensar e agir como antes, pois uma grande experiência de vida nos modificou intensamente.

Toda experiência que temos na vida nos muda de alguma forma. Um relacionamento assume um grande papel nessa mudança. Quando o relacionamento termina isso nos traz novas lições sobre as relações humanas.

Podemos ter lições positivas ou negativas a depender das suas escolhas, pois, no final, são nossas escolhas que nos determinam.

O processo de superação é, sim, uma situação muito dolorosa pela qual precisamos passar, mas que superaremos, indiferente da ajuda de um livro ou de um profissional, mais cedo ou mais tarde.

Apontamos no início o maior e grande ponto a ser entendido com o fim do relacionamento que é a nossa posição num mundo pós-separação, se entendemos isso e conseguimos nos reorientar podemos dizer que a superação é garantida.

Existem muitos métodos que podem nos auxiliar a encontrar o reequilibro e sentido da vida – livros como o popular Método ADA – A Arte de DesAmar, e, focamos nesse pelo fato de que ele, além da explicação sobre a situação vivida, nos leva a análise dos relacionamentos passados e nos ajuda a projetar os relacionamentos futuros. Um passo a passo que pode minimizar a dor que sentimos.

No entanto, existem outras centenas de livros.

Alguns tratam do amor-próprio uma das grandes perdas que temos após o fim de um relacionamento; outros focam nas questões mais práticas da vida, como a criação dos filhos por pais separados.

Enfim, apontar a melhor leitura para o seu caso, dependerá do que você necessita.

O sofrimento é inevitável, mas você saberá quando isso está fora do seu controle, nesses casos, será preciso a intervenção de um psicólogo ou psicanalista que possa orientá-lo/a na restruturação da sua vida.

Conclusão

Tudo passa. Não há dor nem alegria que dure para sempre, essa é a certeza da vida.

Infelizmente fomos projetados para uma natureza de sentimentos que devemos experimentar, alguns bons, outros ruins e não há como ir contra essa nossa natureza.

Se você está sofrendo o fim de um relacionamento saiba analisar, olhar para o que foi vivido em casal e entender se o sofrimento vale a pena.

Desmistificar a felicidade ilusória que tínhamos, quando chegamos ao fim do relacionamento, é um passo importante.

Mesmo que o relacionamento tenha sido maravilhoso, o fato de ter culminado num rompimento já o desmerece, põe em dúvida tudo o que foi sentido e vivida.

Foque-se em você, não siga os conselhos que o/a levam a enveredar pelas estradas de um novo relacionamento, pois isso, quase sempre, só aumenta os problemas.

O foco é a sua vida e, quando se tem filhos, as suas relações com o filho.

Não deixe que a desilusão de um relacionamento que acabou atrapalhe o restante da sua vida, ou roube de você um segundo que seja a mais do que devia pelo seu luto.

Amores mortos devem ser enterrados. Embora não possamos esquecer e nem deveríamos, devemos esquecer todo e qualquer sentimento por aquilo que se foi, nem os bons, nem os ruins devem sobreviver a nossa nova experiência de vida.

Viva intensamente, um relacionamento que termina não define você como perdedor/a, o que define você são suas ações e a forma como resolveu encarar a vida.

comentário

Clique aqui para publicar um comentário