Gastronomia Noticias Rio em Foco

Bares e restaurantes do Rio têm volta de movimento, mas 35% tiveram prejuízo no mês de junho, aponta Abrasel

Pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) aponta que apenas 30% dos estabelecimentos do Rio de Janeiro operaram com lucro no período, enquanto 35% tiveram equilíbrio
Foto: Canva

Pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) aponta que apenas 30% dos estabelecimentos do Rio de Janeiro operaram com lucro no período, enquanto 35% tiveram equilíbrio

Os donos de bares e restaurantes do Rio registraram mais prejuízo do que lucro no último mês de junho. Segundo a mais recente pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no RJ (Abrasel RJ), 30% dos estabelecimentos registraram lucro no período. No entanto, 35% das empresas tiveram prejuízo e outros 35% fecharam o mês em equilíbrio.
 

O levantamento aponta que a alta da inflação segue sendo uma das principais preocupações do setor. 71% dos bares e restaurantes do estado não conseguiram reajustar os seus preços em linha com a inflação média. Destes, 41% realizaram reajustes abaixo da inflação, enquanto 31% não alteraram seus preços. Outros 26% dizem ter feito reajuste conforme a inflação. Enquanto somente 3% alteraram os preços acima da inflação.
 

O índice é ligeiramente inferior à média nacional, que apontou que 74% dos estabelecimentos do país não conseguiram realizar reajustes equivalentes à inflação.

“A pesquisa deixa claro que, mesmo sofrendo o duro impacto da inflação, a grande maioria dos empresários não repassou os aumentos de custo aos clientes. Isto demonstra o quanto o setor é resiliente e está comprometido em atravessar esta crise. No entanto, caso esta tendência se mantenha por mais tempo, isto pode inviabilizar muitos negócios. É fundamental que haja um entendimento entre todas as esferas do poder público, para que a inflação não seja responsável pela extinção de empresas e postos de trabalho que representam a comida na mesa de milhões de famílias”, – afirma Pedro Hermeto, presidente da Abrasel RJ. 


77% dos bares e restaurantes do Rio tem empréstimos contratados e 35% tem parcelas em atraso
 

O levantamento revela ainda que, dos negócios do RJ inscritos no Simples Nacional, 59% têm parcelas em atraso, índice abaixo do registrado em todo o país, que é de 45%. Destes, 59% já aderiram ao Programa de Reescalonamento do Pagamento de Débitos no Âmbito do Simples Nacional (Relp). Apenas 13% das empresas estão inscritas no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), do Ministério do Turismo. Entre as que têm débitos na dívida ativa, somente 25% delas requisitaram entrada no Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse) e 13% disseram desconhecer o programa.
 

A nova rodada da pesquisa da Abrasel RJ apurou ainda que mais de dois terços das empresas do estado, 77%, contraíram empréstimos. Sendo 71,4% através de linhas de créditos dos bancos. Entre estes, 35% têm parcelas em atraso e alegam que o custo comprometido para o pagamento das dívidas representa 13,5% do faturamento.

Adicionar comentário

Clique aqui para publicar um comentário