fbpx
Saúde

Filho de peixe, peixinho é. E neto também. Um novo cirurgião plástico desponta no Brasil.

Filho de peixe, peixinho é. E neto também. Um novo cirurgião plástico desponta no Brasil.

É o doutor Antonio Pitanguy, filho do grande cirurgião Paulo Müller e neto do mestre Ivo Pitanguy, que já é um dos grandes cirurgiões brasileiros.
Seguindo a tradição de família, ele acabou de receber o título de Membro Honorário da Sociedade de Cirurgia Plástica de Mônaco. A entidade reúne os maiores cirurgiões plásticos do mundo e funciona sob a batuta do príncipe Albert de Mônaco. “Acho que é uma honra esse reconhecimento dos colegas”, diz.

Filho de peixe, peixinho é. E neto também. Um novo cirurgião plástico desponta no Brasil.

Mas, para conseguir alcançar tanto sucesso, Antonio aprendeu com os melhores.
Seguindo os passos do avô fez residência em cirurgia geral no Hospital Carlos Chagas e em cirurgia plástica no Instituto Ivo Pitanguy, quando operou diversas vezes ao lado do mestre.”Meu avô me disse para primeiro me tornar médico e depois cirurgião plástico. Por isso fiz primeiro a residência em cirurgia geral e depois cirurgia plástica “, explica.
Depois de formado, começou a operar como assistente de seu pai. Foram mais cinco anos de muito aprendizado com um dos maiores especialistas de face do mundo. “Operei muito com o meu pai. Ele é um grande cirurgião plástico especialista em face. E ele segue as técnicas do meu avô, o que é muito importante”.

Filho de peixe, peixinho é. E neto também. Um novo cirurgião plástico desponta no Brasil.

Viajado, ele também fez questão de, em Nova Iorque, estudar com o cirurgião Daniel Baker, que operou a Madonna, e, em São Francisco, com Timothy Marten, nos Hospitais Johns Hopkins e no Shock Trauma Center, o melhor hospital de trauma no mundo. Em Cleveland fez estágio na Clínica Mayo e em Barcelona na Clínica Planas. “Achei muito importante estudar a minha especialidade em outros países. Essa troca foi muito especial”.

Ainda seguindo os passos do mestre, ele escolheu a rua Dona Mariana, em Botafogo, para abrir seu primeiro consultório. Lá ele recebe suas pacientes dias por semana. E nos restantes ele opera e atende em Angra dos Reis, onde a família Pitanguy mantém a Ilha deixada pelo professor. “Estou atendendo e operando em Angra porque tenho um vínculo afetivo muito grande com a cidade. É um dos lugares mais bonitos do Brasil e um polo turístico internacional, ”conclui.

Adicionar comentário

Clique aqui para publicar um comentário