fbpx
Saúde

Especialista em reprodução humana relata a sua nova rotina em tempos de Pandemia

especialista em reprodução humana em tempos de pandemia
Com várias pacientes grávidas e dando à luz durante a pandemia, ela e todos os obstetras tiveram que criar uma nova rotina especialmente para a vinda dos novos bebês.

Mesmo com a pandemia e a quarentena uma coisa não mudou. O nascimento de novos bebezinhos já que foram gerados há muitos meses atrás. Com isso toda a preparação e cuidados para a chegada dos novos bebês foi adaptada para que tudo dê certo e sem riscos para as mães e seus bebês.

Para a especialista em reprodução assistida, Dra. Sonia Valentim, todo cuidado é pouco. Ela enfatiza que é importante que as grávidas que tiveram resultado positivo para o Covid sejam tratadas em alas separadas das mães que não têm a doença. “As pacientes grávidas que testaram positivo para o Covid estão sendo cuidadas com assepsia redobrada e estão sendo mantidas em alas diferentes das que não testaram positivo,”explica.

Mesmo não havendo contaminação entre mãe e feto através da placenta, o que só aconteceu uma vez na França, ela explica que deve haver muito cuidado na hora da amamentação. “As pacientes que testaram positivo para Covid e acabaram de fazer o parto ou tiram o leite para darem de mamadeira para o bebê ou amamentam usando máscaras superprotetoras face face shields e higienizam muito bem as mãos”, diz Sonia.

Outras mudanças geradas pela pandemia do Covid são a respeito das visitas e acompanhantes no quarto das mães dos bebês. Se antes o normal era fazerem festinhas comemorando a chegada do novo serzinho, hoje as visitas e festas estão proibidas e só é autorizada a presença de um acompanhante. “Não pode mais fazer festinha no quarto do hospital e se estiver tudo bem com o bebê e a mãe, assim que o bebê completar 36 horas, pode ir para casa”diz a médica.